A Universidade de Brasília (UnB) expulsou 15 estudantes por fraude nas cotas raciais, esta semana. Segundo a reitoria da universidade, as investigações começaram a partir de uma denúncia do movimento negro, em 2017, mas só foram consolidadas este ano.

Ainda de acordo com a UnB, outras dez pessoas também foram atingidas e seus diplomas ou créditos foram cassados. Segundo o chefe de gabinete da reitoria da UnB, Paulo César, a reitoria recebeu em 2017 uma denúncia de cem eventuais fraudadores das cotas. Dentre os nomes apresentados, vários foram eliminados por não se tratar de fraudes, os que tiveram as fraudes confirmadas agora foram expulsos.

A criação de uma comissão específica para avaliar os casos foi o pontapé inicial para o processo de cassação. Critérios como fenótipo, cor da pele e textura do cabelo, foram usados para estabelecer uma diretriz, definida pelo Supremo Tribunal Federal para o sistema de cotas. De acordo com Paulo Cesar, a expulsão dos alunos teve o aval da Procuradoria Federal. Segundo ele, houve um processo disciplinar que envolveu 28 estudantes e resultou na exclusão de 15 que ainda estavam cursando, e a cassação do diploma que havia sido dado a dois estudantes que concluíram seus cursos. Outros oito estudantes que já haviam se desligado da universidade por outros motivos, tiveram seus créditos anulados. Com informações do Notícia Preta.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *