O Ministério da Saúde anunciou nesta terça-feira (19) um pacote de ações com o objetivo de garantir, nos próximos 12 meses, a recertificação do Brasil como país livre do sarampo. Após a confirmação de um caso endêmico da doença registrado no Pará em 23 de fevereiro (veja aqui), o Brasil perderá o título concedido pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS).

 

“Iniciamos a gestão, no atual governo, com taxas de imunização muito baixas. Elas atingiram um pico em 2003, mas, no geral, de lá para cá caíram ano a ano até chegarem perto de 80% no ano passado. Não é o patamar ideal. Temos que elevá-la acima a 95%”, afirmou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. “Nosso plano consiste em encaminhar medidas importantes ao Congresso Nacional, como a exigência do certificado de vacinação, não impeditiva, de ingresso na escola e no serviço militar. Reforçaremos, ainda, o monitoramento da vacinação, por meio dos programas de integração de renda e como norma para os trabalhadores de saúde”.

 

Em nota, o ministério informou que as ações fazem parte de um conjunto de medidas para os primeiros 100 dias de governo. O pacote inclui ainda a melhora nos sistemas de informação e monitoramento para medidas de prevenção e controle; a ampliação das estratégias a adesão da população à imunização; o acerto com estados e municípios estratégia para fomentar a oferta local de salas de vacinação em horário diferenciado; a instituição de uma “força tarefa” para apoiar os Estados e Municípios na investigação e manejo de casos de doenças imunopreveníveis e a realização de uma ampla campanha de multivacinação, entre outra ações.

BN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *