O presidenciável do MDB, Henrique Meirelles, disse que, se eleito, a reforma da Previdência será “prioridade” no governo. Ele ressaltou que é “fundamental” o Congresso aprovar a proposta. Segundo o emedebista, a matéria será votada após o fim da intervenção federal no Rio de Janeiro, que impede alterações na Constituição até 31 de dezembro de 2018.

“A questão da reforma da Previdência é fundamental para evitar que aconteça o que aconteceu na Grécia, que o país quebrou e o governo começou a cortar aposentadoria. Isso é uma tragédia e não acontecerá no Brasil. Mas temos certeza que haverá uma aprovação tão logo termine a intervenção no Rio de Janeiro e com o novo presidente. Nós vamos colocar isso como grande prioridade”, afirmou, em entrevista à Rádio Metrópole.

O pré-candidato ressaltou ainda que, caso eleito, pretende também implementar uma reforma tributária. “É algo que já está no nosso projeto e tenho uma experiência de trabalho que tem mostrado resultados positivos”, salientou.

Meirelles se posicionou contra a aprovação de “pautas bombas” no Congresso, que podem aumentar os custos do país. “É importante que isso não entre em vigor. São projetos e são passíveis de discussão. Mas somos contra a pauta que inviabilize a confiança dos consumidores, investidores e nos leve de volta a situação que encontrei quando voltei ao governo há dois anos. Estamos trabalhando dentro das possibilidades de ajudar, estou fora do governo, mas dou a opinião de que essas pautas não são convenientes”, pontuou.

Metro 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *