Madonna conquistou coragem para falar abertamente sobre ter sido estuprada aos 19 anos em um texto escrito por ela para a revista “Harper’s Bazaar”, de outubro de 2013. Na ocasião, ela recordou o quanto sofreu ao chegar em Nova York, no início dos anos 1980, e mencionou algumas das violências que sofreu, incluindo um estupro.

Agora, em entrevista ao programa de rádio “Howard Stern Show” nesta quinta-feira (12), Madonna admitiu que se sentiu esmagada por tudo. “Eu ia a essa aula de dança e a porta estava trancada e eu precisava de dinheiro para pagar o telefone. Esse cara me ajudou. Ele era um cara muito amigável. Eu confiei em todo mundo”, disse.

Stern, então, perguntou à cantora se ela havia relatado o crime no momento. Madonna disse que não. “Você já foi violada. Apenas não valia a pena. É muita humilhação”, declarou.

Depoimento para “Harper’s Bazaar”
“Nova York não era tudo que eu esperava que fosse. Ela não me recebeu de braços abertos”, ressaltou a cantora, que já havia revelado o estupro há alguns anos, mas foi além ao detalhar outras agressões que, segundo ela, a ajudaram a se tornar uma pessoa mais forte.

“No primeiro ano, fiquei sob a mira de uma arma. Fui estuprada no telhado de um prédio para o qual fui arrastada com uma faca em minhas costas e tive meu apartamento invadido três vezes. Não sei por que; não tinha nada de valor depois que levaram meu rádio na primeira vez”, explicou.

Madonna falou ainda sobre ousadia, mencionando cantoras como Rihanna e Miley Cyrus e fazendo uma reflexão sobre si mesma e a idade. “Quando você tem 25 anos é um pouco mais fácil ser ousada, especialmente se você é uma estrela pop, porque as pessoas esperam que você tenha um comportamento excêntrico”, escreveu. “Anos depois, aqui estou eu, divorciada e vivendo em Nova York. Fui abençoada com quatro filhos maravilhosos. Tento ensiná-los a serem criativos. A serem ousados. A escolher fazer coisas porque acham que elas são as certas, não porque são as que todos estão fazendo. A ideia de ser ousada se tornou uma regra para mim. Claro, é tudo uma questão de percepção, porque fazer perguntas, desafiar as ideias e sistemas de crenças das pessoas e defender aqueles que não tem voz se tornou uma parte da minha rotina. Em minha cartilha, isso é normal”, concluiu.

Cantora já falou de estupro outras vezes
Não é a primeira vez que Madonna relata as agressões e estupro em sua chegada à cidade de Nova York. Em entrevista publicada pelo semário britânico “NME”, em setembro de 1995, reproduzida por várias publicações americanas, ela comentou o caso.

“Eu já fui estuprada, e não é uma experiência que gostaria de tornar glamourosa”, disse a popstar. “Mesmo que tenha sido devastador para mim, eu sei que aquilo me tornou uma pessoa muito mais forte em retrospecto. Isso me fez ser uma sobrevivente.”

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *