Toquinho ao violão, Ivan Lins no piano e meia dúzia de histórias da música popular brasileira. É esta a receita do encontro entre os dois artistas, que acontece nesta quinta-feira, 19, às 21 horas, no palco do Teatro Castro Alves, pelo projeto Verão MPB.

Sem seguir roteiro fechado, Toquinho e Ivan Lins têm seus momentos solos e também cantam sucessos juntos. Entre uma música e outra, o espetáculo abre espaço para uma boa prosa entre amigos.

“Nossa velha amizade facilita as coisas. O público gosta de ouvir histórias e cantar junto algumas canções. São fatos que se entrelaçam porque abrangem personagens comuns a nós dois”, comenta Toquinho.

Apesar de se conhecerem de festas e eventos há muito mais tempo, a proximidade  entre os  músicos só começou mesmo na década de 1990, depois de dividirem o palco pela primeira vez em um festival de jazz.

“O que nos uniu foi Amor em Paz (Tom Jobim e Vinicius de Moraes), que eu cantava em show e tinha gravado duas vezes. Depois gravamos juntos no primeiro DVD de Toquinho (2001). Ela celebra o nosso encontro musical e a gente continua cantando”, lembra Ivan Lins.

Segundo Toquinho, a ideia do show se deu de forma bem natural. “As características melódicas são convergentes em muitos aspectos. Isso facilitou a parceria de palco. E a junção piano e violão tendo como elo composições de Tom Jobim e Vinicius de Moraes completa nossa relação musical”, conta.

Pontos em comum

A formação musical é um ponto que aproxima os dois artistas ainda mais. “Posso dizer que somos herdeiros da bossa nova. Convivemos com músicos amigos de ambos e isso nos torna muito próximos para entrosamentos de vários aspectos”, Toquinho diz, de um lado.

Do outro, Ivan completa: “A nossa música é muito brasileira. Acumulamos sucessos através da carreira e, de uma certa maneira, a mesma origem musical é o que nos aproxima mesmo”. Diante de tantos sucessos, os dois cantores dizem que não tiveram dificuldade em montar o repertório do show, que já foi apresentado em São Paulo (com e sem orquestra), Recife e Ilhéus.

“Cantamos sucessos que agradam ao público, às vezes com alguma surpresa”, afirma Toquinho, que este ano trabalha em projeto de CD e DVD, além de shows em comemoração aos 50 anos de carreira. Com seu violão, ele deve apresentar clássicos como Tarde em Itapuã, Aquarela e Samba de Orly.

Já Ivan, artista brasileiro vivo mais gravado no exterior, embala ao piano composições como Madalena, A Bandeira do Divino,, Começar de Novo. Embora ambos tenham o talento reconhecido como compositores, nenhuma parceria surgiu desses encontros musicais.

“A convivência facilita. Há grandes chances para isso. Seria um grande prazer ter o Ivan como parceiro”, revela Toquinho, nos deixando esperançosos por uma composição, quem sabe, nascida na Bahia.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *