A igreja de Maragogipe é um dos cinco bens tombados que tiveram ordem de serviço assinada nesta segunda-feira (5), pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O acordo foi selado em uma em uma solenidade na Casa dos Sete Candeeiros, no Centro Histórico. Durante a obra, 30 mil telhas serão substituídas do prédio fundado em meados de 1650. A igreja, que comporta cerca de 1,5 mil pessoas, receberá um investimento de cerca de R$ 18 milhões para a sua preservação.

Além da igreja do recôncavo baiano, haverá obras também nos municípios de Itaparica, Santo Amaro e São Félix (a primeira na Região Metropolitana de Salvador, enquanto as últimas ficam no Recôncavo). De acordo com a presidente do Iphan, Kátia Bogéa, esses bens foram escolhidos entre as cidades tombadas. “O critério era ver os monumentos com nível de degradação muito grande e as prefeituras tinham que fazer os planos de ação.

Esse patrimônio é absurdamente importante para o país e para um estado que respira cultura”, afirmou ao Correio. Para o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, que também estava na solenidade, o patrimônio histórico é uma das prioridades da pasta. Ele defendeu que os locais que serão restaurados tenham programas de uso sustentável.

Ilustrativo | Foto: José Carlos Matta/Divulgação

BN

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *