O governador Rui Costa pediu na quarta-feira (1º), ao entregar ambulâncias e assinar convênios para obras em municípios, que os deputados estaduais façam logo o empenho das emendas impositivas para este ano. Porém, de acordo com levantamento realizado pelo Bahia Notícias, em 2017, Rui pagou apenas 17,1% dos recursos empenhados pelos parlamentares. No ano passado, os deputados pediram a liberação de R$ 87,9 milhões em emendas. Entretanto, ao fim do ano, apenas R$ 15,4 milhões tinham sido desembolsados pelo governo. No saldo a liquidar, Rui ficou devendo aos políticos R$ 74,3 milhões. O pagamento deste recurso aos parlamentares é obrigatório, por determinação da Constituição da Bahia. Cada um dos 63 deputados tem direito a receber R$ 1,4 milhão, valor calculado com base no orçamento de 2017. Ao fazer o apelo para que os deputados fizessem logo o empenho das emendas, Rui fez uma brincadeira. “Quem está guardando o empenho das emendas que gaste logo, porque emenda não é poupança”, afirmou, arrancando risos dos presentes. Apesar da “bricandeira”, muitos dos que riram sabiam do imbróglio que o governo enfrentou no primeiro semestre de 2017, justamente por ter deixado de pagar as emendas impositivas. Irritada por levar dois anos sem receber um centavo, a base aliada esperneou, fez “greve” e deixou a Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) quase três meses sem votação, como forma de retaliar o governador Rui Costa. Para amenizar a questão, o petista prometeu quitar tudo até o fim do ano. No entanto, apesar de ter sido colocado por um levantamento do G1 como o governador que mais cumpriu promessas de campanha no país, pelo menos no quesito emendas parlamentares, a situação foi diferente.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *