Recentemente o jornal O Estado de São Paulo publicou uma entrevista interessantíssima com a escritora Catherine L’Ecuyer, autora do livro Educar na Curiosidade – A criança como protagonista da sua educação. Catherine fala sobre seu longo tempo de experiência, estudo e observação sobre a realidade atual de estímulos aos quais as crianças são submetidas e traz elementos que, segundo ela, são antigos quando se trata da educação infantil.

Como conseguir que uma criança fique quieta? Como ensiná-la a esperar? Antes de ter, pensar com motivação para aprender sem medo de se esforçar? Como educar crianças hiperestimuladas pelo volume de atividades ou pelo uso excessivo de dispositivos tecnológicos?

Essas e outras perguntas podem ser respondidas pela autora, que não promete um método, mas aponta caminhos. Caminhos que, muitas vezes, se encontram nas origens, no que se praticava antigamente.

  1. Where are you from? static caravans for sale on site wales “The [jersey] sponsorship dollars, and some of the deals that are going down with these soccer clubs, are astronomical, and the difference is because they play to a global audience,” said Badenhausen, who adds that TV is still “really significant” for top-tier soccer teams, which are allowed to keep a bigger portion of the TV pie because of the individual teams’ importance to the league.

  2. I’d like to order some foreign currency lisinopril hctz 20 12.5 mg The old warning system, called the Modified Early Obstetric Warning System (MEOWS), was recommended for use following a maternal death due to infection at Our Lady of Lourdes Hospital in Drogheda in 2008 and was also recommended by the Confidential Maternal Mortality Enquiry reports in the UK and Ireland.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *