Comemorado desde 2008 em 22 de abril, o Dia da Mandioca será antecipado para esta sexta-feira, 20, em Cruz das Almas (BA). A Embrapa Mandioca e Fruticultura e a Prefeitura Municipal montaram uma programação para refletir sobre a importância da raiz originária da América do Sul que é um dos principais alimentos energéticos para mais de 700 milhões de pessoas em todo o mundo.

As atividades começam às 9h, no Paço Municipal, onde haverá uma reunião da comissão organizadora do XV Congresso Brasileiro de Mandioca, que será realizado em Salvador de 14 a 17 de outubro de 2013, sob a presidência do pesquisador Carlos Estevão Cardoso.

Na Praça Senador Themístocles, a Embrapa vai montar um estande focado nos avanços tecnológicos da cultura da mandioca e fará distribuição de manivas da ‘BRS Jari’, que tem alto teor de betacaroteno (precursor de vitamina A) e é resultado do Projeto de Melhoramento de Mandioca para Biofortificação, liderado pela Embrapa Mandioca e Fruticultura e financiado pela Fundação Melinda e Bill Gattes. Haverá degustação de suco de aipim e aipim frito.

Ausência de glúten

A partir das 16h, o pesquisador Joselito da Silva Motta e a farmacêutica homeopata Tereza Martins Peixoto apresentam a oficina “Da raiz à tapioca na mesa”. Motta vai mostrar como retirar, em casa, a goma (fécula) do aipim (ou macaxeira) para o preparo de beiju recheado e pizzaioca (pizza à base de mandioca). Já a farmacêutica Tereza Peixoto vai dar orientações sobre a mandioca como alternativa de alimentação para os portadores da doença celíaca, caracterizada pela intolerância ao glúten, proteína presente no trigo, centeio, triticale, aveia e cevada, responsável por causar diversos sintomas como enxaqueca, dores articulares, alergias e problemas alimentares.

Segundo pesquisadores do Centro de Doença Celíaca da Columbia University Medical, estima-se que quase 1% da população (tanto nos Estados Unidos, como em outros países europeus e sul-americanos onde a doença foi estudada) seja portadora da doença celíaca, embora a maioria destas pessoas permaneça sem diagnóstico.

“A mandioca pode ser uma ótima alternativa para este grupo, pois é saudável, não contém glúten e tem uma infinidade de usos na alimentação, a exemplo dos beijus, bolachinhas de goma e pães de queijo”, explica Joselito Motta, que vai ministrar palestra, em 25 e 26 de maio, no Congresso Internacional de Nutrição Especializada, no Centro de Convenções do Rio de Janeiro. O evento vai abordar o conceito e as descobertas científicas relativas à doença celíaca e às sensibilidades alimentares, às técnicas e à tecnologia envolvida na alimentação isenta de glúten para celíacos e não celíacos.

Fonte: Embrapa Mandioca e Fruticultura

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *