Em rota de colisão com o presidente Jair Bolsonaro (PSL), o presidente do PSL, Luciano Bivar (PE), venceu mais uma batalha contra o chefe de Estado dentro da legenda (leia mais aqui). Segundo a Folha de S. Paulo, numa convenção nacional realizada nesta sexta-feira (18), em Brasília, além do aumento da representação bivariana, cinco deputados federais bolsonaristas foram suspensos pela sigla. Além disso, os filhos do chefe de Estado perderam poder nos bastidores.

Segundo a publicação, os seguintes parlamentares tiveram a suspensão anunciada: Carlos Jordy (RJ), Alê Silva (MG), Bibo Nunes (RS), Carla Zambelli e Filipe Barros (PR). Todos assinaram a lista para destituir o deputado Delegado Waldir (GO) da liderança do partido na Câmara. A articulação visava alçar o filho de Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro (SP), ao posto.

Também foi anunciada a troca nos comandos do PSL em Rio de Janeiro e São Paulo, presididos respectivamente pelo senador Flávio Bolsonaro e pelo deputado Eduardo Bolsonaro.

“Nós tivemos agora a convenção do partido, a adequação do estatuto e complemento de quadros [no diretório] que eram mais do que necessários”, afirmou o senador Major Olimpio, líder do PSL no Senado.

Na convenção, foram eleitas 52 novas pessoas para o diretório nacional, que passou a ter 153 membros.

De acordo com a reportagem, o diretório do PSL em São Paulo será dividido entre os deputados Coronel Tadeu, Joice Hasselmann, Junior Bozzella e Abou Anni. Já no Rio, a tendência é que a composição seja feita entre os deputados Felício Laterça, Professor Joziel, Lourival Gomes e Gurgel.

BN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *