Por mais que você resista, é quase impossível não ceder às tentações à mesa nas festas de final de ano. Um dos grandes problemas dessa comilança é o consumo exagerado de sódio, presente, por exemplo, nos embutidos que compõem aquela maravilhosa tábua de frios e no peru, chester ou tender, por conta principalmente do glutamato monossódico, tempero que acompanha as carnes congeladas. O resultado da farra é acordar inchada no dia seguinte. “Quando consumimos sódio em excesso, nossos rins retêm mais água para tentar diluí-lo no sangue e retornar os níveis normais do nutriente. É por isso que ocorre o inchaço ou edema”, explica a Dra. Paula Vasconcelos, nutróloga do Espaço Volpi (SP).  Segundo a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), o consumo de sódio recomendado é de até 400mg por 100 g de alimento. Para você ter uma ideia, o salame tem 1.574mg e o peru até 711mg de sódio em 100g. Mas esse nutriente não é o único vilão presente em abundância nas ceias de Natal ou Réveillon. O álcool, composto de várias bebidas, também colabora com o inchaço. “Ele desidrata o organismo. Assim, a reação é uma maior retenção hídrica para compensar esse desequilíbrio”, complementa Paula. Entre as bebidas alcoólicas, a cerveja é a que mais provoca inchaço.  De acordo com a nutróloga, ainda que a cerveja não seja a bebida com maior índice alcoólico, curiosamente, o fato de ela ser composta por 95% de água acaba favorecendo a desidratação. É que a combinação de água e etanol presente na cerveja inibe a ação do hormônio antidiurético, provocando constante vontade de fazer xixi. E isso, como se sabe, provoca retenção para compensar o excesso de água eliminada. “Além disso, por combinar também um tipo de carboidrato, presente na cevada ou trigo, com o álcool, que incentiva a produção de insulina, desempenhando, assim, o mesmo papel que o açúcar, a cerveja favorece o ganho de peso. Além de ser, por si só, bastante calórica. Uma latinha, por exemplo, tem 160 calorias”, afirma Dra. Paula.

OK, você exagerou na ceia de Natal e acordou inchada? Aqui vão algumas dicas da especialista para você nocautear o problema:

1. Consuma alimentos e bebidas ricos em potássio, cálcio e magnésio que atuam como diuréticos naturais, ajudando a reduzir o inchaço. Exemplos: banana e água de coco (fontes de potássio), leite e derivados (fontes de cálcio) e vegetais verdes como espinafre e lentilha, além de feijão, amêndoas e nozes (fontes de magnésio).

2. Aposte nessa receitinha leve, refrescante, diurética e termogênica (que acelera o metabolismo, ajudando a gastar o caminhão de calorias ingeridas): bata no liquidificar  100ml de água de coco, 100ml de chá de hibisco, 1 fatia de abacaxi, folhas de hortelã e gengibre a gosto. Tome sem coar para aproveitar os benefícios das fibras que ajudam, por exemplo, no bom funcionamento do intestino.

3. Tome bastante água antes, durante e depois das festas de final de ano. E, às vésperas de se fartar à mesa, vale, ainda, consumir alimentos ricos em proteína magra que ajudam a prevenir o inchaço. Sem contar que a deficiência de proteína também pode estar associada à retenção líquida. A dica, portanto, é comer, preferencialmente, peixe e ovo, para garantir a proteína magra que o seu organismo precisa.

Boa Forma

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *