O ministro da Saúde, Ricardo Barros, assinou nesta quinta-feira (26) termo de cooperação para incentivar a criação de uma Rede de Bancos de Leite Humano em quatro países. O Brasil será responsável pela transferência da tecnologia para Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. O acordo foi firmado durante a IV Reunião de Ministros da Saúde da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Brasília. “Queremos multiplicar os bancos de leites em todos os países da CPLP. Precisamos garantir que nosso modelo seja adotado por outros serviços e é através da expansão da nossa tecnologia de coleta, armazenamento e distribuição que poderemos contribuir para essa ação. A criação da Rede de Bancos de Leite Humano e do grupo de trabalho em Telemedicina e Telessaúde, por exemplo, poderão impactar em aspectos como a redução da mortalidade infantil e a simplificação do acesso aos serviços de saúde”, afirmou Barros. O Ministério da Saúde já possui cooperação com quatros países da CPLP, que já adotam o modelo brasileiro de Banco de Leite: Angola, Cabo Verde, Moçambique e Portugal. Referência mundial na área, o Brasil possui a maior e mais complexa rede de banco de leite humano do mundo. São 221 bancos de leite, em todos os estados e Distrito Federal, com 190 postos de coleta, além da coleta domiciliar.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *