Após ser alertado por aliados no Congresso Nacional, o governo passou a reavaliar o cronograma e a estratégia para apresentar e aprovar a proposta de reforma da Previdência Social.

Segundo o blog de Gerson Camarotti, no site G1, os integrantes da equipe econômica foram convencidos de que tentar aprovar a reforma na Câmara em março.

O entendimento é de que, como chegou a ser cogitado, por emenda aglutinativa, poderia causar resistência política e contestação jurídica no Supremo Tribunal Federal (STF).

O principal alerta veio do próprio presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), em entrevista à GloboNews. De acordo com o democrata, votar a reforma sem respeitar os prazos regimentais pode transformar a Câmara em um “campo de guerra”.

Metro 1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *