Na última sexta-feira (16), o Ministério do Turismo (MTur) atualizou a categorização dos municípios que compõem o Mapa do Turismo Brasileiro. Esse instrumento é importante para acompanhar o desempenho da economia do turismo nos municípios e serve também como balizador de políticas do setor e direcionamento de verbas federais. A atualização revelou queda no desempenho de alguns municípios, seja pela redução do seu fluxo turístico ou pelo encolhimento da mão de obra ou infraestrutura ligada ao setor. Seis cidades baianas tiveram redução em suas categorias, incluindo Amargosa.

Em resposta a nota emitida Prefeitura Municipal de Amargosa, a ex-prefeita Karina Silva afirma que as alegações da atual gestão são levianas, uma vez que segundo ela, um documento do próprio Ministério do Turismo, aponta que as contas ainda encontram-se em análise, desmentindo assim a alegação do prefeito Júlio Pinheiro, que tenta enganar a população disseminando informações falsas. É válido ressaltar que, nos quatro anos em que Karina Silva esteve à frente da prefeitura, o São João voltou a crescer como mostrou uma reportagem publicada pelo MTUR, replicada pelo site Outro Olhar, bem como a participação do São João de Amargosa nas Olimpíadas do Rio de Janeiro.

Karina Silva também pontuou que, os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) refletem em ações do Partido dos Trabalhadores (PT) no município, ao se omitir diante do fechamento do Frigorífico JBS e da Fábrica de Calçados Daiby, com isso a cidade perdeu vagas de emprego. Ainda assim, os números não influenciam, segundo o (MTur), já que são levados em consideração apenas os empregos gerados por meio do turismo, além de aumento no número de estabelecimentos formais de hospedagem, além do aumento fluxo de visitantes brasileiros domésticos e internacionais, algo que não ocorreu por exemplo, no último São João.

Com a redução de categoria da letra C para a D, Amargosa não poderá pleitear apoio a eventos geradores de fluxo turístico. De acordo com a nova categorização, a cidade só poderá contar com até R$ 150 mil por ano do governo federal para a realização de festejos. Algo que não ocorreu durante a gestão de Karina Silva, quando o município permaneceu na categoria ‘C’, tendo direito a um limite de R$ 400 mil.

ASCOM/Karina Silva

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *